Tempo e Nostalgia

Por bruN0.

26/09/2007

3ª aula. 9:20. Lauro Jr. explicando calmamente gravitação universal. E senti uma das maiores tristezas que um aluno (ou qualquer pessoa) pode ter.

“Na minha época (que ironia, 1984 como o famoso livro…), minha sala era bastante unida. 54 alunos. Achávamos que nunca iríamos nos separar. Mas nunca mais nos encontramos.”

Caiu a ficha. Vez ou outra comentava que sentia medo do abandono. Nunca mais encontrar aqueles velhos amigos, como já perdi na época em que estudava no saudosíssimo Vinícius de Moraes (antigo colégio que estudei até a 3ª série, quando então fui para o Christus, em que estudo até hoje). Como já comentei vez ou outra com a Renna ou com a Jéssica (que no momento da declaração, encarou-me duas vezes e notei a profundidade daquela possibilidade tão dramática. Eu sempre digo para ela que uma das minhas maiores preocupações desse ano para mim é justamente isso). Sempre quis acreditar que nunca iríamos perder o contato de alguns anos. Infelizmente, não consigo imaginar 25 anos sem ver essas pessoas que tanto aprendi a admirar.

Os mais radicais irão dizer que a modernidade evitará esses problemas. Mero engano. Sei onde eles moram, tenho MSN, um contato no Orkut, mas no fim de tudo… isso é absolutamente nada. Uma vida assolada pelo trabalho, pela monotonia. Talvez eu lembre deles alguma hora, como uma vaga lembrança de meu saudosismo doentio. Terei novos, atuais amigos. Mas será que é isso que isso é suficiente para preencher o vácuo que essas pessoas que entraram na nossa vida já ocuparam?

Isso ocorre em qualquer lugar. Na escola, no trabalho, na Internet… veja só o exemplo atual. É natural que um dia eu vá perder contato com todos que postam nesse blog ou entram no canal de mIRC. E é certo que um dia eles farão falta, como todos os outros irão fazer. Talvez numa dessas coisas random de Internet, eu ache eles por aí. Se um dia eu viajar por aí e achar alguns deles. Apoka em Curitiba, Choir em Maceió, Kodaz em Brasília, auren em Sampa… eu nunca gostei de garantir nada, mas fica aquela reflexão: por que nos preocupamos tanto com esse fim que sabemos que chegará?

Eu gostaria de imaginar-me ao lado de amigos que fizeram a minha vida, tomando uma cervejinha no fim de semana, ou achar velhos amigos de mIRC que estarão lá, talvez não no mesmo local, mas sempre se encontrando sempre que possível, falando sobre música, curiosidades da vida, jogos. Soa infantil, mas mais do que isso… soa como esperança. Um dia acaba, tudo acaba. O que sobra é aproveitarmos enquanto podemos. Por isso continuo no mIRC até hoje, aproveito a vida de maneira não-tão-a-sério esse mundo-cão e nunca hesito em dizer para as pessoas que gosto que elas irão fazer falta se um eu nunca mais vê-las. E saber que apesar de daqui a alguns anos eu perderei o contato, mas a saudade e a lembrança ainda estarão frescos na memória.

~ por bruN0 em quarta-feira, 26 setembro, 2007.

2 Respostas to “Tempo e Nostalgia”

  1. Kra gostei, isso faz mt sentido, eu ja me perguntei mt sobre esse assunto, toda hora lembro de amigos de outros colegio que nunk + ouvir flar neles.

  2. Opá… Lí um comment seu nesse blog: http://leonelfraga.com/neomatrixtech/?p=434. O Post fala do velho Itautec (Infoway A96)… pois entaum, Tô precisando de uma cópia daquele CD de instalção incial que instala todos os softwares padrão desse sistema, tô afim de fazer o meu rodar novamente para meu sobrinho poder dar seus primeiros passos, mas ele está funfando com W98, queria ele original. Se puder fazer upload desse CD me dá um toque.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: