Alien Nation

Até que ponto vai a alienação dos brasileiros? Roupas de acordo com as tendências da moda, gostos musicais definidos pelos convidados do programa do Faustão, manipulação de informações, falta de personalidade – a ponto de tentarem imitar personagens de novelas, séries, filmes, etc. – ignorância política, e muitos outros fatores que fazem o Brasil parecer ter regredido à Idade das Trevas.

A tal “Era da Informação” faz os cidadãos aparentarem ter mais conhecimento, mas é fácil perceber como essa realidade é superficial. Será mesmo que os telejornais são totalmente imparciais? O que tantas pessoas de classe média e baixa viram na televisão e comentam com vizinhos e amigos é verdade? Será que não houve sensacionalismo ou manipulação sobre a notícia do seqüestro daquele empresário, ou da morte do jovem nas mãos de policiais?

Não que o problema seja o cidadão não saber que é massa de manobra, ele sabe disso. Bom, pelo menos acha que sabe. É a conseqüência de tanta informação disponível, faz com que esse tipo de pessoa ache que sabe o que pensa, quem é, por que faz tais escolhas no dia-a-dia e por aí vai. Satisfação por viver uma ilusão, oh, doce ilusão. E aí vem um problemão: o conceito de conhecimento, que mudou ao longo desses anos… Onde o mais sabido é aquele que “sabe” como foi a morte da Isabella, aquele que “sabe” qual foi o xingamento do ator global ao repórter do SBT, aquele que “sabe” qual era a marca do guardanapo usado pelo presidente da República no almoço em família no último domingo…

Enfim, não é mais aquele que realmente viveu várias experiências ou que tem amplo conhecimento nas ciências exatas ou biológicas que é considerado o sabido, são os iludidos, os alienados, enquanto as pessoas com alguma instrução são os alienígenas, os estranhos. Pois é, parece que os sabidos foram substituídos, junto com o conceito de conhecimento. Parece que os agora estranhos não são mais tão sabidos. E, se, assim como nosso caráter, a cultura, a educação, a sociedade brasileira é fruto de nossas decisões, os sabidos são os principais ignorantes nessa história, por terem deixado isso acontecer. Pior: por terem feito a escolha de um Brasil alienado, mergulhado nas trevas da ignorância.

A diferença entre a Idade das Trevas que estamos vivendo e a Idade Média é, respectivamente, a mesma entre a loira burra e a loira inteligente (a burra acha que sabe, e a inteligente sabe que é burra). O que muda é que não é só a diferença entre as loiras das duas épocas, mas entre os cidadãos.

Enfim, deixem-los viver sua ilusão, afinal, “se for para viver uma fantasia, que essa dure para sempre”. Enquanto isso, nós, que protestamos para lerem livros ao invés de perderem tempo no Orkut e no MSN, para ouvirem Mozart e Beethoven ao invés de Racionais MC e MC Créu, para dançar salsa e valsa ao invés de A Dança do Quadrado e rebolation… Enfim, nós, que estamos aí sempre cuidando da vida dos outros, tentando impor nossa personalidade e opiniões sobre a massa, continuaremos a ser os sabidos entre o povão. Bom, pelo menos é o que achamos. Que nossa fantasia dure para sempre.

~ por apoka em quarta-feira, 03 setembro, 2008.

9 Respostas to “Alien Nation”

  1. Phoenix Down no blog, alooc. :O

  2. Uau! :O

    Concordo com boa parte do assumido aí, mas existem ressalvas quanto ao (mau) gosto brasileiro. Não quero dizer que dançar o créu ou rebolar com um shortinho de meio palmo é justificável, mas existem músicas, filmes e peças que podem não ser consideradas intelectualmente relevantes, mas tem um valor muito mais profundo que dizer que “Mozart e Beethoven” está acima disso tudo. Lazer continua sendo lazer, tendo obrigações intelectuais ou não. Ou vai dizer que quem ouve Ultraje a Rigor está no mesmo nível de quem dança créu só porque eles possuem músicas descompromissadas que sabem fazer o melhor, que é divertir? Nem todos devem ter a obrigação de se tornarem instrumentos de uma linha de pensamento puramente “crítica e intelectualizada” (se existem pessoas que até lêem até a Veja e levam a sério o Mainardi!), mas sim ter a liberdade de escolher uma dessas “estradas”. Aí voltamos ao ciclo da culpa da mídia brasileira, que tem um fator decisivo na “formação” do povo.

    Não sei se deu para entender meu ponto, mas tá aí.

  3. Adorei o post =D nem tenho muito o que dizer pq abaixo está a única crítica a fazer…

    “mas tem um valor muito mais profundo que dizer que “Mozart e Beethoven” está acima disso tudo”
    E BuNO continua: Blind Guardian, por exemplo, é um sutil exemplo de musica culta e profunda.
    Concordo com o comentário dele (não, não sou adepta a dança do créu, craw, dança da mulher melancia, jaca, pera, enfim) porém, se formos analisar o ponto musical, fica óbvio que o nível está caindo, ou voces curtem estilo forró “ponha a mão no meu…”, funk “mexe a bundinha”, reggae “fumem todos”, pop “dou para qualque um”, emocore “se matem o mais cedo possível”… entre outros? Cada caso é um caso. Não são os estilos que definem a musica, e sim o contrário.
    Se bem que existem muuuitos outros aspectos:
    Mamae diz: Leia um livro!
    Filhinha: To lendo ‘contos eróticos’ mamae!
    Mamae: pelo menos é um começo…

    ;/ Saudades do Bruno! \o/
    beijos carinhosos…

  4. Poxa vida, a Jéssica conhece o Stay Schizo e eu não sabia! Huehueheuhe! Grata surpresa!

    Aí você pega num ponto delicado, Jeh… Blind Guardian é música culta e profunda para mim, mas talvez seja pelo fato de ser meu gosto. Por exemplo, aqueles que não vão com a cara de histórias “épicas” (como as do Tolkien, só para citar) talvez não ache nada de culto ou profundo, apesar de notoriamente mais intelectualizado que boa parte da cultura musical difundida hoje em dia.

    Mas isso é somente um dos pontos, analisar gosto musical é algo tão complexo que não vou me dar ao trabalho de dissertar por muito mais tempo. Mas voltando ao assunto inicial do post (mas não tanto), não custa lembrar que o título do post tem clara referência a uma excelente música do Scorpions. Apoka entende melhor do que eu sobre essa música, daria até idéias para posts futuros. Enfim, estou digitando de um computador do laboratório de computação da UFC. Então não posso me prolongar taaanto assim. Btw Apoka, de onde tu tirou o “estalo” para escrever tanto?

    Saudades de você também, Jéssica! Espero te ver um dia, qualquer dia te aperreio no MSN de novo. :***’s

  5. ._. esse povo que ao invés de estar estudando computação tá pe brincando de postar ;]
    Buno não entendeu o que eu quis dizer com Blind Guardian. Foi uma merda brincadeira, citando uma banda q voce gosta ;] Apenas =] nem critiquei, até pq so conheço duas musicas e uma em espanhol!
    =D ah enfim… aguardo próximos posts!
    ;****’s \o/’s ???’s *-*

  6. … era para ser mera*, que fique bem claro…
    uma mera brincadeira…*

  7. eu acho que os comentarios são praticamente outros posts, e acho que deveriam postar mais, fica aí meu comentário nada a ver com o assunto. bjosmeliguem

  8. mto foda mort =D
    volta pra SF cara =’),agora virou SH
    bora lá zoar de novo /o/
    gina tah com saudades de ti hohoho
    abrass
    Valhallo

  9. gabar-se por ter um pouco de cultura nao torna vc mais inteligente que uma pessoa que nao tem. arrogancia eh tao ruim quanto ignorancia [nao que eu nao seja (os dois)]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: