THE BEST THE BEST THE BEST of 00’s

THE BEST THE BEST THE BEST

Por Apoka.

Organizar um ranking de músicas favoritas é um troço complicado. Complicadíssimo, para dizer a verdade. Porém, o STAY SCHIZO possui bastante gente estranha e que aceita o desafio masoquista.

Bem, como o título deste post diz, o desafio foi listar os dez melhores álbuns dos anos 00. Foi bastante complicado, pois mais de um terço de todo o meu acervo musical é do terceiro milênio, mas o seria para todo mundo, não é mesmo?

De acordo com o Notepad, foram 77 álbuns pré-selecionados (de todos os que eu tenho aqui), sendo 2009 o ano com o maior número selecionado (19). Disso, destaquei 21 deles e fui chutando um a um, até que apenas dez obras-primas restassem. Foi uma pena descartar álbuns que adoro, como o An Absence Of Empathy, do Frameshift, lançado em 2005, e o In Your Honor, do Foo Fighters, também lançado em 2005, aliás, a imagem que ilustra o início deste post é justamente do clipe de uma música do álbum deles, Best Of You.

Claro que houveram outras exclusões difíceis. Deixar os últimos lançamentos de AC/DC e Kiss, Black Ice e Sonic Boom, respectivamente, assim como os dois álbuns do The Answer (Rise e Everyday Demons) e o último do Massacration, Good Blood Headbanguers (não estou brincando, esse estava na lista pré-selecionada também) foi tenso.

De qualquer forma, até mesmo quem elabora esse tipo de lista acaba não concordando com o que está presente nela nem com a ordem. Fazer o quê. Depois de resmungar e praguejar bastante, cheguei a uma conclusão. Eis o meu TOP10:

01) Dr. Sin – Bravo (2007)
02) Metallica – Death Magnetic (2008)
03) R.E.M. – Accelerate (2008)
04) Megadeth – Endgame (2009)
05) Chickenfoot – Chickenfoot (2009)
06) Them Crooked Vultures – Them Crooked Vultures (2009)
07) Pearl Jam – Backspacer (2009)
08) Helloween – Keeper of the Seven Keys: The Legacy (2005)
09) The Answer – Everyday Demons (2009)
10) Queensrÿche – American Soldier (2009)

Isso mesmo, uma banda brasileira em primeiro lugar. E o combinado com os outros colaboradores do blog foi de postar sobre o primeiro lugar do ranking. Sem mais delongas, hora de falar da obra-prima que é o álbum de 2007 do Doutor Pecado.

Tracklist:

01. Drowning In Sin
02. Nomad
03. Empty World
04. Freedom
05. Behind Enemy Lines
06. Taj Mahal
07. Celebration Song
08. Hail Caesar
09. Signs
10. C´est La Vie
11. Dream Zone
12. Life Is Crazy
13. Full Throttle
14. Wake Up Call
15. Think It Over
16. Welcome To The Show

Logicamente, todas as 16 músicas que compõem Bravo merecem aplausos. O disco já começa com uma excelente faixa, “Drowning in Sin”, que possui um ritmo elaborado e quebrado, próximo do prog metal. A letra possui um forte caráter político-social, com alfinetadas a “aqueles que conseguem dormir mesmo enganando os inocentes” ou a “aqueles que vendem a alma e brincam de deus”.

A segunda faixa, “Nomad” é outra porrada, que lembra o excelente som do Brutal. “Empty World” é uma balada fantástica, com uma letra depressiva e um piano melancólico ao fundo, junto com um excelente trabalho vocal do Andria Busic.

“Freedom” quebra a tristeza da faixa anterior, trazendo bastante velocidade e peso com a animação pirotécnica característica do Dr. Sin, é a música perfeita para levantar o astral de qualquer um, acompanhada da conhecida guitarra de Edu Ardanuy e todas as suas fritações, uiuiuiuius e bululus do início ao fim.

“No philosophy. No dead ends. We know what you want.” são uma das palavras que abrem “Behind Enemy Lies” e seu ritmo pesado e quebrado. Essa é apenas para ouvir a letra e viajar no solo do Edu e logo após isso o Andria solando seu baixo. Além do instrumental, o refrão gruda na cabeça também. Depois vem a curta “Taj Mahal”, trazendo a melodia oriental com bastante competência.

“Celebration Song” é outro ponto alto do álbum. Não me considero um grande fã de Led Zeppelin para fazer uma homenagem como essa, mas quem dormiria com o Plant ou o Page adorará essa música, que mistura em sua letra passagens de várias músicas dos deuses dos anos 70 com a qualidade musical do trio paulistano. “Uh, uh, mah-my soul felt like a stairway to heaven…”

“Hail Caesar” é uma das minhas preferidas. Simples, rápida e pesada. É daquelas que você tranca as portas de casa, coloca o volume do som no máximo e canta até ficar rouco. Segura esse baixo! Sem abandonar a sequência impecável, “Signs” traz um dos refrões mais preguentos do disco e, com certeza, está entre as melhores dele. A bateria e os riffs são viciantes, assim como a letra, as escalinhas, o solo… Ai, ai, vamos para a próxima.

Depois de uma sequência dessas, “C’est La Vie” vem para relaxar, sem abaixar o nível do disco. O único defeito mesmo é o aspecto um pouco clichê da letra. “Dream Zone” continua com o clima relaxante e viajado, trazendo uma letra mais psicológica. De volta ao bom e velho Hard Rock, “Life is Crazy” tem os ingredientes para uma música viciante, que vão desde os riffs às batidas e o refrão bastante grudento.

E lá vem “Full Throttle”. “We’re talking fucking Rock ‘n’ Roll, yeah!”. Isso sim é música de homem. Rápida, pesada e grudenta. Falei pouco dessa beleza? Além do ritmo agitado e das motocicletas ao fundo, Edu mostra todo o seu virtuosismo num show épico de fritação de guitarra. Uma das melhores do álbum, com toda certeza.

As duas próximas faixas são bastante interessantes, assim como suas respectivas participações especiais. “Wake Up Call” conta com a gaita de fole de Orlan Charles acompanhando diversos momentos da música, que realmente pedia sua participação. Você já ouviu falar de Edson & Hudson? Adivinhe quem participa da próxima faixa e última balada do álbum, “Think It Over”: o próprio Hudson, que mostra que não entende apenas de sertanejo, com um solo de deixar muitos boquiabertos. Além disso, a letra é simples, mas muito bonita. Outra participação ao longo das músicas do disco é a do tecladista Rodrigo Simão, também crucial para a qualidade de cada faixa.

E, por fim, temos mais uma música contagiante. “Welcome To The Show” possui uma letra que lembra “Jump”, do Van Halen, com seus “levante as mãos”, “quero ver você gritar”, e por aí vai. Uma boa música para encerrar o melhor álbum dos caras. Bravo!

~ por apoka em domingo, 03 janeiro, 2010.

Uma resposta to “THE BEST THE BEST THE BEST of 00’s”

  1. Cara, quando vi o titulo do tópico pensei que ia ser mais uma besteira, afinal, nos anos 00’s a maioria da música virou palhaçada e o que vemos hoje é mc créu, bonde do morro e 50 cent fazendo sucesso.

    Mas vc conseguiu fazer um top 10 fantástico mano!! To totalmente de acordo, só não falo sobre o cd do Dr. Sin pois ainda não ouvi o mesmo, mas quem sabe um dia eu volte aqui para comentar sobre ele, xD.

    Vc tem o link dele pra mim baixar??

    Abraço.

    PS: Ótimo post!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: