Ateísmo nosso de cada dia

Por Jullian

Meio de Janeiro é uma época chata pra caralho e sinônimo de tédio, então o que melhor pra parar com o tédio, se não escrever (e jogar)? E como é necessário um tema, usarei um tema proposto pelo meu amiguinho Lake, ateismo.

Minha intenção com esse post é fazer algo informativo, se alguém se ofender ou considerar isso uma “conversão” (wololo) eu peço desculpas.

O ateísmo ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é religião e muito menos algo de cunho satanista, o ateísmo é na verdade o oposto disso, ateístas não acreditam na existência de QUALQUER deus, independente de qual mitologia ele pertença. E por causa dessa descrença em deuses, muitas vezes somos considerados imorais e com uma visão equivocada de mundo.

O ateismo existe há um bom tempo, mas só começou a crescer com força após a revolução francesa e segue até hoje, cada ano aumentando de forma considerável o número de ateus no mundo (devemos agradecer isso aos autores de filosofia da ciência da atualidade, Richard Dawkins por exemplo) e devemos lembrar que, apesar do comunismo andar de braços dados com o ateísmo, ser ateu não significa ser comunista.

Existe uma eterna rixa entre os ateus e crentes – por motivos óbvios – enquanto os ateus julgam os crentes como ignorantes e etc, crentes julgam os ateus como infelizes, satanistas e *tudo de ruim aqui*… É triste saber que num mundo “liberal” como o de hoje ainda tenha dificuldades em aceitar outros pontos de vista, e falo isso olhando tanto pros ateus quanto pros crentes. “Deus não existe”, “prove que deus não existe”, “prove que deus existe” e blablabla são frases muito comuns de serem ouvidas em discussões onde ambos os lados acreditam estar 100% certos sendo que nenhum dos dois pode afirmar algo. Ateus procuram sempre usar a ciência para firmar suas opiniões em algo “sólido” para ter uma credibilidade maior enquanto os crentes (sem querer generalizar) usam argumentos baseados na fé e na sensação de que se existe um deus, e talvez por causa da inclusão começaram a aparecer pessoas sem opinião formada que usam argumentos extremamente falhos, ameaças e coisas do tipo.

Devemos lembrar que:

  • Ateus não olham somente pro lado literal das coisas
  • Ateus não são infelizes por serem ateus
  • Gostamos de não acreditar nessas coisas
  • Ser ateu é o estado natural do ser humano
  • É você que decide em quem acreditar e não seus pais
  • Apesar da religião estar gravada no nosso código genético, não deixamos de ser naturais por não acreditarmos nisso, lembre-se, natural é andar pelado😀

Muita gente acha que ateus acordaram num dia feliz e falaram “opa, a partir de hoje serei ateu!!!1”, desista dessa ideia porque não é assim, precisa ter um conhecimento no mínimo razoável de religião para poder dizer com certeza que se é um ateu, e se a pessoa é ateia MESMO ela dificilmente voltará a ser teísta. Existem certas coisas que nos impedem de seguir adiante com a ideia de “vou ser ateu”, como peso da família, acreditar que não tem ninguém cuidando do planeta ou do universo e que o acaso existe, e é bem fácil ter acontecido algo na sua vida que você considera um milagre. Mas lembre-se, sendo ateu sempre existirá pessoas que te apoiarão e outras que te xingarão como nunca.

Ser ateu é maravilhoso, sem medo de cometer atos que vão contra a igreja e ficar com medinho de inferno depois (e sem essa putaria de “ATEU PODE MATAR ENTÃO HIHISOUTROLLHIHI”), todos são iguais, vemos o mundo de uma forma mais realista e sabemos que se queremos algo, temos que merecer isso.

Termino o post com uma frase profunda:

“Hands that help are far better than lips that pray.”

Robert G. Ingersoll (1833-1899)

~ por narugami em domingo, 17 janeiro, 2010.

4 Respostas to “Ateísmo nosso de cada dia”

  1. Ô loco. esse tem o que fazer, até virou bloger.
    No mais ótimo post.

  2. bom texto, contra os radicais e o pessoal que tenta forçar a religião(ou a falta dela) goela abaixo
    não sou ateu mas apoio a liberdade que cada um tem para acreditar ou não acreditar no que quiser
    fui

  3. Não vou discutir quem é o certo, quem é o errado e se essas categorias existem ou não. Só vim comentar que discordo da afirmação de que “ser ateu é o estado natural do homem”. De onde saiu?

    Independentemente da questão do gene da religião e trololó, o comportamento natural do ser humano em sociedade* consiste em explicar a causa das coisas através de magia, bruxaria e “forças superiores” (Lévi-Strauss, Boas, Evans-Pritchard e por aí vai).

    *”Em sociedade”, porque podemos supor a existência de um indivíduo “puro”, independente de laços, mas o comportamento deste seria puramente hipotético, já que este não existe.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: